Notícias


Publicado em:
11
12/2018

Piscina versus ouvidos: cuidados nunca são demais

Atenção para as dicas essenciais com os ouvidos após os banhos de piscina.



Metatags: Expolazer & Outdoor Living, Verão, Piscinas, Ouvidos, Saúde
Pixabay

O período de férias de verão é sinônimo de banho de piscina. Mas alguns casos devem ser levados em conta quando o assunto é a saúde do ouvido. O contato frequente com a água e a umidade no interior do canal auditivo são fatores que podem resultar em infecções.

A Dra. Jeanne Oiticica, especialista em Otorrinolaringologia e Otoneurologia, e chefe do grupo de pesquisa em zumbido do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina USP, esclarece as principais dúvidas dos pacientes que reclamam de dor de ouvido nessa época do ano devido aos banhos de piscina.

Expolazer: Entrou água no ouvido. Podem ser usadas as hastes flexíveis?
Dra. Jeanne: De jeito nenhum, já que a água associada a outros fatores, pode desencadear sintomas indesejáveis (dores, coceiras). Cutucar o ouvido com haste flexível de algodão pode potencializar ainda as chances de infecção.

Expolazer: Por que a dor de ouvido vem mais no verão?
Dra. Jeanne: Porque é nessa época do ano que a umidade, causada pelo o excesso de exposição à água e o suor, quando acumulamos no interior do canal do ouvido, tende a favorecer a proliferação de fungos e bactérias.

Expolazer: O que fazer para evitar as dores após um dia na piscina?
Dra. Jeanne: É fundamental que nada seja introduzido no canal do ouvido – não pode cutucar – pois isso pode criar microfissuras na pele, o que desencadeia a infecção. Após o banho de piscina, deve-se secar o ouvido com uma toalha felpuda, com o secador de cabelo ou pingando uma gota de vinagre incolor em cada ouvido.

Expolazer: Quando o médico deve ser procurado?
Dra. Jeanne: Quando os sintomas não melhoram, mesmo após algumas tentativas (supracitadas) de secar o ouvido. E quando ainda pioram com o surgimento de outros sintomas, como sensação de ouvido tampado, otorreia (secreção no canal do ouvido) e febre. Lembre-se: nunca introduza hastes no canal do ouvido, pois, além de predispor a infecções, pode levar à perfuração do tímpano e, em alguns casos, até mesmo à surdez.

Fonte: Primeira Página


Últimas notícias

Indústria 4.0: cibersegurança é fundamental

O alerta vem da Abinc, que salienta a importância da segurança na tecnologia do parque operacional.
Leia Mais

Serasa Experian dá dicas para os consumidores realizarem compras onlines

Especialista em Certificação Digital aponta os principais pontos que os internautas devem se atentar para não caírem em fraudes.
Leia Mais

Especialista alerta sobre o perigo dos gestores tóxicos

Susana Falchi, da HSD Consultoria em RH, aborda o problema das gestões negativas que resultam em processos de assédio moral.
Leia Mais