Entrevista

Saiba quais são e como evitar os quatro erros mais comuns durante a cloração da piscina

Saiba quais são e como evitar os quatro erros mais comuns durante a cloração da piscina

Embora pareça ser uma atividade relativamente fácil, a aplicação de cloro na limpeza da piscina exige bastante cuidado e atenção.

 

Da dissolução do produto à temperatura ambiente, a cloração de piscinas exige cuidados que garante o melhor resultado. Confira os quatro erros mais comuns.

 

    1. Dissolver incorretamente o produto

Esse evento pode gerar problemas, como a danificação do revestimento da piscina, principalmente se for de fibra ou vinil, como também de objetos em contato com o concentrado do produto. Para evitar esse impasse, faça a dissolução em um recipiente isolado e só aplique na água da piscina quando a concentração estiver de acordo com o recomendado pelo fabricante.

 

    1. Aplicar o cloro em excesso

Outro erro muito comum na utilização do cloro é a aplicação em excesso. É um grande equívoco pensar que, quanto mais produto adicionar melhor será o resultado. Isso porque essa substância em quantidades acima das recomendadas pode danificar o revestimento da piscina, além de causar irritação na pele e ardência nos olhos. A concentração do cloro deve estar dentro dos padrões ideais de aplicação: entre 1 e 3 ppm.

 

    1. Usar objetos metálicos na hora de misturar o cloro

O cloro é um composto bastante oxidante. Dessa forma, não se deve colocar objetos metálicos diretamente em contato com essa substância no momento de preparo da solução, pois poderá haver a danificação dos materiais usados devido ao processo de corrosão. Por isso, dê preferência a equipamentos próprios para essa atividade, os quais são sempre recomendados pelo fabricante do produto.

 

    1. Trabalhar com o produto sob elevada radiação solar

No caso de cloros que não são estabilizados, é preciso evitar fazer a aplicação do produto sob forte atuação da radiação solar, pois esse composto tem facilidade em evaporar por causa da presença do sol e do calor ambiente. Por isso, uma boa dica é escolher bem o tipo de cloro e, de preferência, efetuar a cloração da água no final do dia, quando a temperatura está mais baixa.

 

Fonte: Primeira Página.

Redes Sociais