Feira

Parques aquáticos movimentam mais de 50 setores da economia brasileira

O tripé hotéis, multipropriedades e parques aquáticos é fundamental para girar o mercado, assegura Caio Sergio Calfat, palestrante do 4º Fórum de Piscinas e Spas

 

Segundo o engenheiro civil Caio Sergio Calfat, diretor da Caio Calfat Real Estate Consulting e vice-presidente de assuntos turísticos imobiliários do SECOVI-SP, o advento dos parques aquáticos no Brasil tem feito surgir novos destinos turísticos e movimentado cerca de 50 setores da economia brasileira.

Áreas como transporte, gastronomia, comércio, prestação de serviços médicos e gerais e hotelaria então entre os contemplados por esse tipo de empreendimento. “Além disso, impostos são gerados e empregos originados”, completa o engenheiro.

Trata-se de uma novidade para o brasileiro – há seis anos não havia nem metade dos parques, conforme Caio. Entretanto, a atração mostra que veio para ficar.

“Empreendimentos como parques aquáticos e resorts valorizam uma região e aumentam o número de hotéis e multipropriedades - hoje, já são 92 no País -, os quais também têm área de lazer, o que gira o mercado de piscinas e acessórios, inclusive”, ressalta.

Um exemplo é a cidade de Olímpia, cujo principal parque é o quarto mais frequentado no mundo, com mais de três mil apartamentos. “E estamos falando de períodos de crise, entretanto de casais jovens que estão mudando a cultura de lazer do brasileiro e aquecendo o mercado imobiliário, diz

Caio ministrará a palestra “Demandas, tendências e valorização dos empreendimentos com áreas de lazer” no 4º Fórum Brasileiro da Indústria de Piscinas e Spas, durante a Expolazer & Outdoor Living.

A participação do especialista está confirmada o dia 7 de agosto, às 19h. Confira a programação completa aqui.

 

Leia também: Internet das Coisas é tema de palestra na Expolazer & Outdoor Living

Leia também: Segmento de academias é o tema de uma das atrações da Expolazer & Outdoor Living

 

TAGS: Expolazer & Outdoor Living, Feira, Parques Aquáticos, Mercado, Economia

 

Fonte: Primeira Página

 

Redes Sociais