Inspirações

Alerta: evite a proliferação do mosquito da dengue na sua piscina

Alerta: evite a proliferação do mosquito da dengue na sua piscina

Somente em 2018, o Brasil acumulou pouco mais de 1.500 casos da doença, com 62 mortes confirmadas.

 

A dengue ainda não está devidamente controlada no Brasil. É da responsabilidade de todos a execução de medidas de prevenção contra a proliferação do mosquito transmissor. Isso inclui cuidados que visam a proliferação da dengue na piscina, independentemente do modelo que enfeite a área de lazer e da temperatura da estação do ano.

 

Alerta

Água parada e sem tratamento é o habitat favorito do Aedes Aegypti, o mosquito responsável por transmitir não somente a dengue, mas também outras doenças, como febre amarela, chickungunya e zika. A dengue na piscina pode se tornar um problema de elevadas proporções. Especialmente, porque o mosquito é resistente até mesmo em condições adversas.

 

Ciclo

Engana-se quem enxerga um desafio somente o combate ao mosquito transmissor. Após depositados os ovos, os embriões podem sobreviver (mesmo em áreas secas) por até dois anos. Isso significa que, mesmo com as ações para espantar o mosquito da dengue na piscina, um novo ciclo de vida pode se iniciar, exigindo um esforço contínuo para combatê-lo.

Para tanto, convém a compreensão do ciclo de vida do Aedes Aegypti. Por meio da água parada, ou não tratada, as larvas se desenvolvem em até três dias. Além disso, o mosquito cresce entre cinco e sete dias após o nascimento, alimentando-se de resíduos orgânicos. Aliás, o mosquito tem predileção por depositar os ovos nas bordas da piscina. Portanto, não basta cuidar do local só com os produtos básicos e fundamentais de limpeza, como o cloro.

 

Os meios de combate

Uma vez que a rotina de limpeza da piscina deve ser mantida com regularidade, muito disso já permite uma facilidade maior para espantar esses inquilinos indesejáveis da sua área de lazer. Os esforços devem ser diversificados para garantir que o mosquito não deposite ovos e, tampouco, se multiplique. Confira algumas das medidas mais eficazes:

 

    • Limpe a borda da piscina e também as suas paredes com uma bucha ou um acessório específico para essa tarefa.

 

    • A filtragem diária é fundamental no combate à dengue na piscina.

 

    • A capa de proteçãoajuda, mas não é eficiente por si só.

 

    • Mantenha a área de lazer limpa e organizada, livre de focos de acúmulo de água parada, como pneus, latas, vasos e baldes, entre outros.

 

    • Mantenha o nível de cloro livre entre 2 e 3 ppm.

 

    • Todo tipo de resíduo orgânico deve ser também removido da superfície da água, já que ela é a fonte de nutrição e desenvolvimento do mosquito.

 

Portanto, a maneira mais eficiente de evitar a proliferação de dengue na piscina é a partir de uma rotina eficiente de limpeza e manutenção do local. Dessa forma, sua área de lazer permanece não apenas atrativa e convidativa a longos banhos, mas também segura e protegida para crianças e adultos.

 

Fonte: Primeira Página.

Redes Sociais