Inspirações

4 erros mais comuns ao aplicar cloro na piscina

A limpeza da piscina não é nenhum bicho de sete cabeças e pode ser desempenhada pelos próprios proprietários. Entretanto, alguns erros podem prejudicar o trabalho. Saiba como evitá-los.

 

  1. Dissolução incorreta

Esse erro é muito comum quando o cloro utilizado é o granulado. Isso pode danificar o revestimento da piscina, principalmente, se ela for de fibra ou vinil, como também de objetos em contato com o concentrado do produto.

Para evitar esse gargalo, faça a dissolução em um recipiente isolado e só aplique na água da piscina quando a concentração estiver de acordo com o recomendado pelo fabricante.

  1. Cloro em excesso

Outro erro muito comum na utilização do cloro é a aplicação em excesso. Em quantidade acima do recomendado, o produto pode danificar o revestimento da piscina, além de causar irritação na pele e ardência nos olhos. Por isso, a concentração deve estar dentro dos padrões ideais de aplicação: sempre entre 1 a 3 ppm.

  1. Objetos metálicos

O cloro é um composto oxidante. Por isso, dê preferência a equipamentos próprios para essa atividade recomendados pelo fabricante do produto. Metálicos nunca!

  1. Radiação solar

No caso dos cloros não estabilizados, é preciso evitar a aplicação sob a radiação solar. O composto tem facilidade em evaporar por causa da presença do sol e do calor ambiente, portanto, uma boa dica é escolher bem o tipo do cloro e, de preferência, efetuar a cloração da água no final do dia, quando a temperatura está mais baixa.

 

Leia também: 4 motivos para ter um aquecedor a gás

 

Leia também: 4 tipos de lareira para aproveitar os dias frios na área de lazer

 

Fonte: Primeira Página

Redes Sociais