Mercado

Papel-semente gera mudas de plantas e dá origem à empresa

Paper Plant, criado por duas estudantes, pode ser usado na confecção de etiquetas, cartões de visita, folders, convites e outras aplicações.

 

As estudantes Raysa Liandra e Lília Tenório abriram uma empresa a partir do projeto Paper Plant, que conquistou o primeiro lugar na categoria Indústria da Feira Nacional de Empreendedorismo (FNE), evento do Centro Brasileiro de Cursos (Cebrac). As vencedoras são alunas do curso profissionalizante Assistente Administrativo Completo da unidade do Cebrac de Caruaru (PE).

O Paper Plant é um papel reciclado que, quando molhado, vira mudas de plantas de diferentes espécies. Para a produção, Raysa e Lília recolhem todo o material necessário do lixo e, com ele, fazem no liquidificador uma espécie de polpa, uma massa úmida de celulose. A massa é moldada novamente na forma de folhas de papel e recebe pequeninas sementes, que podem ser de hortaliças, flores e árvores.  

A montagem do Paper Plant exige uma camada de papel reciclado, outra de sementes e, por cima, outra folha de papel. O material é bem prensado, depois, é só deixar secar, e pronto: nasce uma folha de papel que pode ser plantada! 

As folhas são um pouco mais grossas do que o normal, têm algum relevo e podem ser usadas para a confecção de etiquetas, cartões de visita, folders, convites e outras aplicações. O único detalhe é que a tinta da impressão deve ser à base de água para não prejudicar a germinação. 

Dependendo da semente, a durabilidade pode variar entre seis meses e um ano. A forma mais assertiva de plantar é somente molhando o Paper Plant. Mas ele pode também ser picado e enterrado em uma camada superficial de terra.

 

Leia também: Floricultura lança coleção de rosas pretas

 

Leia também: Primavera: Lorenzetti apresenta a linha Garden

 

Fonte: Primeira Página

 

Redes Sociais